Como vai sua autoestima?

O que você vê quando se olha no espelho? Mais qualidades ou mais defeitos? Está feliz com o que enxerga ou essa visão lhe entristece?

Alguns estudos mostram que a autoestima está intimamente ligada ao sentido da vida, ou seja, a auto estima seria um reflexo de uma ponderação entre o que se tem e o que se quer ter, sendo mais elevada quanto maior os sucessos percebidos pelo indivíduo forem iguais ou maiores às suas aspirações.Você já parou para pensar que o julgamento mais importante da sua vida é aquele que você faz sobre si mesmo?

A autoestima se refere justamente a esse julgamento.Existem diversos graus de autoestima e isso pode mudar com o tempo. Passamos por fases em que não estamos na nossa melhor “forma psicológica”, com a autoestima meio em baixa, como por fases boas em que nossa autoestima se eleva.

No mundo corporativo é muito comum vermos profissionais que possuem uma visão pobre de si mesmo e por este motivo não conseguem projetar e investir em sua carreira, transferindo para seu Gestor e empresa esta responsabilidade

Algumas situações podem explicar a baixa da autoestima:

  • Dar muita importância à opinião de terceiros;
  • Uma criação/educação com baixa valorização – poucos elogios e muitas criticas;
  • Poucos relacionamentos positivos – isolamento;
  • Falta de fé – de acreditar;
  • Fases em que os projetos não estão correndo bem, as coisas não dão certo;
  • Se abalar fortemente com os erros; entre outros.

Cultivar nossa autoestima faz toda a diferença nos resultados que obtemos na vida! Contudo, a confiança em si mesmo não vai garantir o sucesso, mas ajuda a lidar melhor com as dificuldades, a analisar os problemas e a aprender com os erros. Tudo isso sem grande abalo emocional e sem culpar os demais. Ter uma boa autoestima contribui para a sensação de felicidade e de realização pessoal. Quem tem confiança em si mesmo sabe pedir ajuda, tirar lições dos erros e deixar as magoas para trás.A ampliação do autoconhecimento é uma das formas mais eficientes para melhorar a estima por si mesmo. Quanto mais temos noção dos nossos pontos fortes e fracos, mais temos do que nos orgulhar e podemos agir para melhorar aquilo que nos atrapalha. Quando eu me conheço, eu me potencializo!

O processo de Coaching pode ser uma excelente ferramenta para apoiar a ampliação do autoconhecimento e a consequente elevação da autoestima. Por meio da utilização de vários instrumentos o Coachee tem a possibilidade de entrar em contato com vasta informação sobre si mesmo e de trabalhar com essas informações para formar uma imagem mais realista de si mesmo.

Detalhes do Autor
CEO I4Tec

Teste teste teste teste Teste teste teste teste Teste teste teste teste Teste teste teste teste Teste teste teste teste 

Teste teste teste teste