Outubro Rosa – Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama

Aprenda a importância de viver este momento em todos os meses do ano.

Provavelmente você já percebeu que todos os anos, no mês de outubro, nos deparamos com laços rosa por todos os lados e isso não acontece somente no Brasil  mas em várias partes do mundo.

O laço rosa simboliza a campanha ‘’ Outubro Rosa’’ que surgiu nos Estados Unidos, foi lançado pela Fundação Suzan G. Komen for the Cure em 1990.

O maior objetivo dessa campanha é gritar aos quatro cantos do mundo e chamar a atenção das pessoas e autoridades  para prevenção do câncer de mama.

A popularidade do Outubro Rosa ganhou o mundo de uma forma maravilhosa, motivando e unindo a população mundial em torno dessa causa tão nobre.

A campanha vem ganhando visibilidade e a cor rosa assumiu um importante papel, pois tornou-se uma leitura visual compreendida em qualquer lugar do mundo.

O câncer de mama é a  primeira causa de morte por câncer das mulheres brasileiras e é a doença mais temida pelas mulheres, sobre tudo pelos seus efeitos psicológicos que afetam a sexualidade e a imagem pessoal da mulher, sendo portanto avassaladora tanto fisicamente como emocionalmente.

Para conseguirmos contribuir com o sucesso dessa campanha se faz necessário à conscientização da importância do nosso papel na prevenção do câncer de mama.

Não é novidade de que o corpo e a mente dependem um do outro para manter a saúde, tanto física como emocional.

A psiconeuroimunologia – ciência responsável pelo estudo das relações entre as emoções, o sistema nervoso e as funções orgânicas – vem apresentando que somos seres integrados, cujos pensamentos e emoções atuam na química do nosso corpo, nos hormônios, no funcionamento do sistema imunológico e ainda comprovam que as reações emocionais disparam a produção de uma série de substâncias que podem comprometer o funcionamento do sistema imune.  Ou seja, as  reações disparadas entre a interação do estado emocional e o estado físico pode acabar levando a alterações orgânicas e ao surgimento de doenças, sejam elas graves ou não.

Com isso precisamos entender que todo sentimento e emoção sentidos e vividos precisam ser respeitados e compreendidos para não prejudicarem o corpo.

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Data Popular mostrou que 54% das mulheres com histórico de câncer de mama apontaram fatores emocionais.

Embora tenhamos na medicina os fatores de risco para o câncer de mama muito bem estabelecidos, tais como: genética, alimentação, aspectos biológicos e ambientais, há diversas evidencias do impacto das emoções no desenvolvimento da doença.

Não podemos fechar os nossos olhos para a rotina que mais parece um turbilhão, a correria do dia a dia, o acúmulo de múltiplas tarefas, pressão no trabalho, filhos, relacionamentos, pressão financeira, são  situações comuns vividas hoje pela mulher da atualidade e tudo isso vivido de forma intensa acarreta no aumento do estresse. Esse fator tão famoso conhecido como estresse tem um papel fundamental no surgimento e no agravamento de doenças, pois ele atua diretamente no organismo promovendo a liberação de cortisol, esse hormônio em excesso no organismo, enfraquece o sistema imunológico podendo produzir modificações na composição química do corpo, levando a uma desorganização nas células, contribuindo dessa maneira para o surgimento do câncer.

Devemos levar em consideração de que o câncer de mama é uma doença que pode afetar qualquer pessoa e em qualquer fase da vida, embora o risco de desenvolver a doença aumente com a idade, sendo maior a partir dos 50 anos, a realidade nos mostra que há cada vez mais mulheres jovens com câncer de mama.

Podemos concluir que o autodesenvolvimento é uma ferramenta fundamental no que se diz respeito a prevenção do câncer de mama, pois através dele podemos expandir a nossa consciência e quanto mais cedo começarmos  a cultivar o amor próprio que irá contribuir na prevenção e nos fortalecerá para  enfrentar os desafios da doença e assim teremos mais resultados positivos nesse combate.

O primeiro movimento que devemos fazer é mudar a nossa atitude perante aos acontecimentos da vida. Ser mais otimista, compreender que a cada desafio apresentado pela vida é uma oportunidade de crescimento e evolução, adotar um estilo de vida mais saudável, ser mais flexível, aprender a dizer não, gerenciar o estresse, buscar o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal através do movimento do dar e receber, sair com os amigos com a família para dar boas risadas, viajar, ir ao cinema, encontrar uma atividade que seja saudável e que te dê prazer. E acima de tudo reserve um tempo só  para você  para que você possa meditar e se  visualizar vivendo momentos extraordinários, isso fará com que  você desenvolva pensamentos e sentimentos positivos para viver o dia a dia com mais leveza..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *